Wednesday, January 14, 2015

3 perguntas para Liniers

O quadrinista argentino, de 40 anos, fala sobre a retrospectiva no Museu Nacional dos Correios, a imprensa de seu país e os colegas brasileiros

Liniers (Foto: Diana Abreu / Divulgação)
Liniers (Foto: Diana Abreu / Divulgação)
14.jan.2014 10:28:03 | por Bernardo Scartezini
Em que consiste o macanudismo? 
Não sei se aqui se passa o mesmo, mas na Argentina somos muito rápidos para aplicar “ismos” a gente que não os merece. Principalmente na política, em que temos o macrismo (do governador de Buenos Aires Mauricio Macri) e o cobismo (do ex-vice-presidente Julio Cobos). Não existe o churchillismo ou o gandismo, mas na Argentina... Então peguei um ismo para mim também! Macanudismo! Não é algo muito grande, não significa nada, trata-se apenas de um gesto de grandiloquência bem argentino. Aliás, vamos ganhar esta Copa do Mundo! (risos) Eu não tenho muita capacidade de observação do que se passa, mas olho muito para dentro. Se algo me parece raro, interessante, ponho em uma tira. E não precisa ser, necessariamente, engraçado. 


Você publica seus desenhos na imprensa portenha desde 1999. Como vê a disputa judicial entre o governo argentino e o grupo de mídia El Clarín? 
Há uma batalha entre um meio muito grande, que tem rádios, televisões, jornais, internet, e o governo federal. Os dois lados querem ser Davi mas são dois Golias. São como duas cabras que se chocam cabeça com cabeça. E no meio estamos nós, tentando entender o que se passa. Quando lemos os diários, sabemos que as informações estão deturpadas e, quando ouvimos os políticos, também sabemos que acontece o mesmo. De forma que, na Argentina, este é um momento muito difícil para nos informarmos. Temos de ouvir os dois lados, fazer uma média e tirar as nossas próprias conclusões. 


Poucos quadrinistas argentinos são conhecidos no Brasil. Por que será? 
Acho que, tanto na Argentina quanto no Brasil, já estamos formatados para prestar atenção nos Estados Unidos e na Europa. Ouvimos músicas em inglês e cantamos. 

http://vejabrasil.abril.com.br/brasilia/m

ateria/3-perguntas-para-liniers-1461

No comments: