Wednesday, November 12, 2014

Adriana Melo – profissão: quadrinista,





Povoado por quase 80% dos artistas masculinos (como já se discutiu várias vezes por aqui), os quadrinhos no mundo tem uma parcela bem reduzida de artistas mulheres, parcela esta, que quando aparece se sobressai para valer! Hoje quero falar sobre uma quadrinista que há muito tempo está desenhando para as grandes editoras americanas e que pouco se fala: Adriana Melo.



Eu já comentei sobre Adriana em outros artigos aqui, quando listei artistas femininas no mundo dos quadrinhos, mas esta semana quero escrever exclusivamente sobre esta que já esteve à frente de personagens emblemáticos, como Witchblade e as garotas de Birds of Prey.

Como tudo começou

Apaixonada pelos quadrinhos de Maurício de Sousa foi na infância que Adriana leu muito das revistas da Turma da Mônica e como todo leitor fanático, queria aprender a desenhar aqueles personagens de qualquer jeito. Mas foi num trabalho de Artes, onde precisou reproduzir um personagem dos comics (no qual escolheu Superman) que sua paixão por super-heróis começou. Foi justamente nesta época que conheceu o trabalho de vários brasileiros que estavam se destacando nos EUA com quadrinhos e isso a levou a estudar com afinco o desenho da figura humana, montando um portfólio e participando de sua primeira convenção de quadrinhos, em São Paulo. Conheceu assim a galera que também era louca por quadrinhos (os chamados “nerds”) e onde também pode assistir a palestras, workshops e oficinas com pessoas importantes do meio, como Roger Cruz e Marcelo Campos. Foi justamente numa apresentação de portfólios, que Adriana foi indicada por esses artistas à empresaArt&Comics que os agenciava na época. Bom, foram mais de dois anos de estudos, entre cursos e muita dedicação até chegar a Art&Comics. Depois de mais seis meses de preparação, finalmente surgiu seu primeiro contrato para desenhar: Homem de Ferro. Sim, um personagem do calibre de Iron Man foi o seu primeiro trabalho agenciado. Depois outros vieram, como o Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado.
Como toda boa mulher, Adriana Melo deu um tempo em sua vida corrida de quadrinista para dedicar-se ao primeiro filho, retornando ao Mercado cinco anos depois com um contrato pela Lucas Arts para desenhar Star Wars.

O trabalho

Após sua volta, muitos contratos apareceram e hoje Adriana Melo é um nome conhecido no mercado de quadrinhos americano e, consequentemente, brasileiro, vivendo só de sua arte. É de praxe saber que as personagens femininas sempre foi o ponto forte dos editores americanos. Podemos ver isso no quanto os desenhos deMike Deodato chamaram atenção com traços sensuais e as poses explícitas deElektra, quando este esteve à frente da personagem no começo de sua carreira naMarvel Comics. Adriana Melo também chamou atenção e solidificou sua carreira profissional justamente ao desenhar heroínas sensuais, sexuais e de forte apelo feminino, como a série Rose and Thorn e Birds of Prey, sob a batuta da roteiristaGail Simone (leia minha coluna anterior sobre esta também fantástica quadrinista). Não é à toa que Adriana tem como ídolo e referência, o americano Adam Hughes, conhecido por desenhar belíssimas anatomias femininas.
Trabalhando com o roteirista Ron Marz, Adriana finalmente chegou para desenhar aWitchblade e revolucionar a personagem quando a luva witchblade passou a pertencer a uma nova portadora e a vida da personagem tomou outros rumos. Foi um arco super elogiado, no qual levou a artista a ser a primeira mulher a desenhar os intocáveis personagens Homem Aranha e Justiceiro, este último num elaborado crossover com Danielle Baptist, a nova Witchblade.

A mulher quadrinista

Muitos dos quadrinistas são homens e o Mercado dos quadrinhos está aberto para todos os artistas, independente do gênero. Isso é um fato que vem se categorizando cada vez mais. Segundo uma entrevista bem interessante que Adriana Melo deu ao site Ladys Comics, ela fala sobre este declive das mulheres em relação ao mercado editorial de quadrinhos: “O mercado tem se aberto cada vez mais para as mulheres, temos várias desenhistas, mas curiosamente num número muito inferior ao de coloristas, roteiristas e editoras. Parece que as meninas se interessam mais peloPhotoshop e Word do que pela lapiseira 0.5. Mas isso tem mudado muito e mais mulheres estão chegando ao mercado, com editores que estão sempre antenados e prontos a receber profissionais responsáveis, centrados e talentosos, independentemente do seu gênero.”
Para talvez auxiliar este processo de trazer mais artistas femininas para o mercado de quadrinhos, Adriana coloca em seu site, workshops on-line mostrando processos de trabalhos, uso de material, técnicas de desenho, respondendo dúvidas, ou seja, uma aula de como devemos nos portar para conquistar este Mercado que tanto lucra e que tão pouco trás profissionais femininos. Está aí a dica para você mulher que desenha, quer se profissionalizar e desenhar grandes personagens. E como aqui eu escrevo para um site que defende com unhas e dentes o quadrinho brasileiro, nunca esqueça do nosso Mercado.

Expediente:

Para conhecer mais de Adriana Melo, acesse: www.adrianamelo.com
Para você estar por dentro das artistas femininas: www.ladyscomics.com.br.

http://www.ucmcomics.com/portal/index.php/janna-cesar/295-adriana-melo-profissao-quadrinista

No comments: