Saturday, July 20, 2013

Talento na ponta do lápis

Com boas ideias e muita criatividade, mercado de quadrinhos cresce para quem investe e se especializa na área

NOTÍCIA0 COMENTÁRIOS
ARQUIVO PESSOAL
Morando atualmente em Natal, Geraldo Borges considera que mercado cearense vem crescendo - com muita gente boa na ativa Pedro Brandão, monitor da Oficina de Quadrinhos da UFC: "me realizo produzindo quadrinhos e ensinando a arte"
A contracapa e as últimas páginas do caderno, o braço da cadeira da escola... Tudo rabiscado. Qualquer folha em branco, caneta ou lápis dando sopa, e os desenhos já aparecem. Leitura preferida? Quadrinhos. Quem é fã dessa arte muitas vezes sonha em assumir o mundo dos traços e histórias como profissão, e é possível alcançar essa meta.

É o caso do cearense Geraldo Borges, que começou a produzir quadrinhos profissionalmente em 1997, na revista Capitão Rapadura, do cartunista Mino. Na mesma época e em parceria com outros artistas, Geraldo abriria um estúdio de quadrinhos, o Graph it.


Anos depois, em 2009, surgiria uma oportunidadedos sonhos para qualquer fã de tirinhas: produzir para a DC – editora norte-americana, uma das maiores companhias do ramo. “Desenhei personagens que fizeram parte da minha infância como Mulher-Maravilha, Superman, Lanterna Verde, Liga da Justiça”, conta o artista. “Um editor da DC que veio ao Brasil viu meu portfólio e, algumas semanas depois, um outro editor me enviou um e-mail passando meu primeiro trabalho pra editora”.

Mas assim como os heróis enfrentam desafios nas revistas, para trabalhar com essa arte também é preciso derrubar obstáculos. Uma das vantagens é que não falta plano B. Para o publicitário Pedro Brandão, monitor da Oficina de Quadrinhos da Universidade Federal do Ceará  (UFC), curso que desde a década de 80 vem capacitando na área, ganhar dinheiro com essa linguagem no Estado pode ser complicado, mas os conhecimentos envolvidos dão margem a diversas possibilidades.

“Grande parte dos alunos envereda pela área de ilustração, trabalhando com publicidade, fazendo freelancers e participando de eventos que precisam de ilustradores. Quem fica na parte de roteiro também gosta de trabalhar com publicidade, além de mídias sociais, jornalismo, literatura e livros infantis”. Para Pedro, que trabalha em agência de publicidade, os quadrinhos não representam frustração profissional e sim um grande prazer.
 
Mercado
Para Geraldo Borges, o mercado cearense vem crescendo e abrindo oportunidade para a ilustração, principalmente na área de publicidade. Já quem investe bastante em quadrinhos, segundo ele, são os Estados Unidos, que pagam de 70 a 100 dólares por página, valor que pode variar muito de editora para editora e também de profissional para profissional. 

“A carreira de quadrinista não é fácil, é necessário dedicar muito tempo - sem um retorno financeiro imediato - para melhorar a qualidade de sua arte e buscar trabalhos. Quanto mais o ilustrador for criativo e continuar se capacitando, mais reconhecimento. É preciso se dedicar, estudar muito e não se esquecer da diversão”, conta ele, que além de desenhar para a DC, tem um estúdio de quadrinhos em Natal, no Rio Grande do Norte, onde mora atualmente. “Vim pra cá porque queria morar em uma cidade menor, mas sei que o mercado para os ilustradores aí no Ceará tem crescido muito. E que tem muita gente boa”.

Dicas
Para ser um grande ilustrador 

Pode
Estudar muito e se capacitar constantemente
Praticar
Exercitar a criatividade
Aprender outras línguas

Não pode
Abandonar os estudos só para ler gibis ou jogar video game
Desistir fácil
Pensar somente nos lucros
Fugir dos números
 
Saiba mais

Além do desenho
Estudar para ser um bom ilustrador não se resume ao consumo ávido de gibis. Diante da possibilidade de fazer trabalhos para o exterior, aprender inglês é importante, e o uso da língua também será útil na hora de usar programas de computador próprios da área. 

Já a afinidade nas ciências exatas servirão para trabalhar noções de luz, sombra, proporção e até programação, no caso de quem se interessar em trabalhar com animação em 3D e comandos dos jogos digitais.

Dominar os números também é vantagem para os ilustradores que pretendem montar o próprio negócio.

Serviço

Oficina de Quadrinhos da UFC Mais informações: facebook.com/oficinadequadrinhos ou oficinadequadrinhosufc.blogspot.com.br/
Gracom – School of Visual Effects
Tel.: 3048-3131 - 3209-2000
Site: www.gracomonline.com.br/site

Para acessar
Humor e cearensidade na arte do cartunista do O Povo 
opovo.com.br/blogdoguabiras

Enfrentando os desafios... com humor
O ilustrador Luis di Vasca criou um blog onde fala dos desafios da profissão.divasca.blogspot.com.br/

Fortaleza pós-apocalipse zumbi
Em Até o Fim do Mundo, o trio Alyson Lacerda, Ramon Cavalcante e Boro Lacerda mostram a capital vivendo épocas sinistras.
www.facebook.com/aofdm



Fonte:

No comments: