Wednesday, July 10, 2013

Superman, o significado


Nesta semana em homenagem ao Cara, eu não poderia deixar de falar sobre o significado do personagem para mim. Principalmente, nestes tempos idiotas de Novos 52.
Quando o Superman surgiu, ele era uma mistura de referências, sendo várias delas religiosas. Desde a óbvia a Moisés salvo de um cesto à deriva no rio até a delirante de que ele seria o Messias esperado pela Humanidade.
Brian Azzarello se propôs a explorar um pouco este lado messiânico do Super em Pelo Amanhã. Falhou miseravelmente.
Brian Azzarello se propôs a explorar um pouco esse lado messiânico do Super em Pelo Amanhã. Falhou miseravelmente.
Acho que os roteiristas do personagem tem a tendência a se impressionar com essas alusões. Se perdem acrescentando poderes e habilidades sem sentido, fodalizando o Superman de tal forma que fica praticamente impossível criar uma situação de risco físico considerável para ele. Some-se a isso o fato de que seu nêmesis é um simples humano careca e megalomaníaco, e tome história boboca em que o cerne fica sendo… a vida familiar dele.
Recentemente, peguei minhas antigas edições Premium pra reler e fiquei novamente constrangido com o arco de histórias em que Lois Lane, casada com Clark, o trata como um cachorro. Ver o Superman sofrendo com esta situação quando ele é capaz de saber tudo o que realmente está acontecendo (por exemplo, ouvindo a batida do coração dela e descobrindo que está mentindo) é forçar a barra. Vê-lo se distraindo de seus afazeres heroicos porque está pensando no que fazer para salvar seu casamento é constrangedor. Vê-lo de mimimi na casa de seus pais, com aquele papo de “amo a Lois, que será de mim sem ela?” ultrapassa o patético!
O auge dos poderes sem sentido!
O auge dos poderes sem sentido!
Isso, creio, acontece porque muitos roteiristas parecem fascinados pela visão “caipira” de Kal-El. Fazem-no, muitas vezes, ingênuo, chegando mesmo a parecer bobo. Por mais que se possa admirar o respeito filial que Clark dedica aos seus pais adotivos, chega um momento que soa completamente sem sentido que um homem com inteligência bem acima da média mortal peça conselhos a eles. Há um momento em que a sua mente grita “tá bom, né?”.
Outro ponto negativo exacerbado através dos anos é o que transformou o Superman num ícone político americano. Pra mim, sempre soou tão ridículo quanto ver um jogador de futebol dizendo que está “servindo ao país” porque foi jogar uma Copa do Mundo pela seleção. Não tem sentido, não tem sentido.
Será que o filme do Superman pode passar na China ou em Cuba?
Será que o filme do Superman pode passar na China ou em Cuba?
Pra mim, o que engrandece o personagem e me faz ter vontade de ler uma história dele (embora 90% de tudo o que vi com ele até hoje seja indigno de sujar o meu cesto de lixo), são pequenos traços que pesquei aqui e acolá durante minhas leituras. O principal? Ele possui grandeza moral. Com tantos poderes, o Superman poderia dominar a Humanidade sem esforço. Inteligente, provavelmente conseguiria fazer isso sem precisar recorrer ao uso da força por um longo prazo: os benefícios que viriam do seu comando rapidamente deveriam convencer a imensa maioria de que valeria a pena.
Zod, com poderes similares, seguiu o caminho mais provável (e que, provavelmente, seria a opção de uma porrada de gente boa que fica pagando de bonzinho porque não tem nada de especial).
Zod, com poderes similares, seguiu o caminho mais provável (e que, provavelmente, seria a opção de uma porrada de gente boa que fica pagando de bonzinho porque não tem nada de especial).
Mas ele não fez isso.
Muito, mas muito pelo contrario: ele escolheu nos servirTrabalhar sem recompensa alguma pela nossa segurança, pelo nosso desenvolvimento, pela nossa liberdade. Ele chegou a sacrificar sua própria vida por essa missão, sem nos cobrar nada em troca. Com ele, realmente, “grandes poderes trouxeram grandes responsabilidades”.
Superman já fez o "maior sacrifício" pela Humanidade.
Superman já fez o “maior sacrifício” pela Humanidade.
Seu zelo chega ao ponto de tomar cuidado para não nos melindrar. Não se comporta como se fosse nosso “pai”, preferindo agir como um filho adotivo agradecido. Tenta aparecer mais como um exemplo do que como uma solução. Aposta tanto no nosso potencial que evita acelerar nosso desenvolvimento.
Este é o maior poder do Superman: ele é humilde.  Tem todos os poderes, todas as habilidades, todos os conhecimentos que sonhamos e, mesmo assim, não se acha acima dos demais. Tudo o que ele aprendeu não o afastou dos seres humanos, não o colocou acima nem à parte de nós. Por isso, ele sempre será um exemplo para mim. Por isso, acredito e torço para que as crianças do futuro continuem a se divertir com os anti-heróis da Marvel ou com o mentalmente perturbado Homem-Morcego, mas encontrem no Superman uma inspiração para um futuro de alcance de potencial sem perda de generosidade.
Acima de tudo, um exemplo.
O grande segredo na excelência da atuação de Reeve, pra mim, é que ele passou a confiança, ele tornou crível que o Homem Mais Poderoso do Mundo seria nosso amigo.
Obrigado, Superman.
E antes que eu me esqueça:

Ridículo, tosco, imbecil. O Superman do Novos 52 não existe, é apenas um triste pesadelo.

Ridículo, tosco, imbecil. O Superman do Novos 52 não existe, é apenas um triste pesadelo.

Fonte:


No comments: