Thursday, September 27, 2012

GDF exonera administrador que desviou verbas de obras para gibis






O governo do Distrito Federal informou na noite nesta quinta-feira (13) que o administrador regional de Águas Claras, Manoel Carneiro, será exonerado do cargo.




Junto com o deputado distrital Olair Francisco (PTdoB), o administrador remanejou R$ 1 milhão que seriam usados para obras de urbanização na cidade para a produção de revistas em quadrinhos.



A exoneração será publicada na edição desta sexta (14) do Diário Oficial do DF. O chefe de gabinete da administração vai assumir interinamente o cargo.

Em entrevista ao G1, Carneiro disse que pediu para se afastar do cargo por um mês para que uma auditoria seja realizada nas contas da administração de forma transparente. “Fiz um documento para o governo pedindo meu afastamento por 30 dias, até que seja feita uma auditoria nessa campanha educativa. É um afastamento para que o processo tenha toda isenção”, disse Carneiro.



Moradores de Águas Claras entraram nesta quarta (12) com uma representação no Tribunal de Contas do Distrito Federal contra Carneiro. Eles pedem que o TCDF analise a validade do contrato firmado para a confecção de 250 mil exemplares de uma revista infantil para promoção do Parque de Águas Claras.



O serviço está orçado em R$ 992,5 mil e foi contratado sem concorrência. O administrador da região, Manoel Carneiro, nega irregularidades. A representação foi protocolada pelo jornalista William Passos e pelo funcionário público Francisco de Souza Andrade.



saiba mais



•Verba para obras em Águas Claras é gasta com vídeos e revistas

•MP investiga falhas técnicas em condomínio de Águas Claras, no DF

•Moradores de Águas Claras, no DF, reclamam de quedas de energia

“Os moradores veem indícios de irregularidades. A gente estudou o caso e viu que houve uma ofensa grave à Constituição porque os princípios da moralidade e da impessoalidade foram agredidos. Nossa expectativa é que o tribunal observe esses aspectos e talvez possa anular o contrato”, afirmou Passos.



Águas Claras não tem escola pública, nem posto de saúde. Várias áreas destinadas a construção de praças aguardam infraestrutura. Os moradores questionam também um suposto favorecimento na contratação do serviço. O vice-presidente da gráfica responsável pela impressão das revistas seria amigo de Carneiro.



Carneiro disse que conhece apenas um funcionário da editora, que teria estudado com ele. O administrador afirmou que a empresa foi escolhida com base em critérios técnicos.



“A lei permite a contratação por notória especialização. A escolha foi feita amparada em parecer jurídico. Apenas dois moradores entraram com a representação e eles não conhecem o processo todo. Estou tranquilo porque levei este processo ao secretário de Transparência e pedimos uma auditoria para constatar a legalidade do contrato”, afirmou.



No último mês de maio, foi assinado contrato para produção da revista “Domingo no Parque”, elaborada para promover o Parque de Águas Claras. De acordo com Carneiro, o projeto para confecção da revista foi elaborado a partir de um estudo que durou seis meses.



Fonte: G1

Fonte 2: http://docafezinho.com.br/?p=17552



No comments: