Thursday, July 12, 2012

O TRABALHO DO QUADRINISTA DAVI COSTA



"HÁ VÁRIAS FORMAS DE FAZER QUADRINHOS. PORÉM, INDEPENDENTE  DA FORMA COMO É FEITO, É PRECISO MUITA DEDICAÇÃO. AINDA NÃO INVENTARAM TECNOLOGIA PRA FALTA DE ESTUDO E CAPACIDADE”
Davi Costa
Quem conhece Davi Costa pela primeira vez fica encantado com a tranquilidade e a simpatia que ele transmite – tudo muito diferente da temática e do traço do rapaz. Admirador da estética underground, suas histórias mostram personagens em geral angustiados e ocasionalmente envoltos por álcool, cigarro, sexo e morte – todas as coisas que nós aqui no HEAVYYYamamos.
Leia a entrevista que fizemos com ele, onde Davi fala sobre a condição dos quadrinhos enquanto arte, traço, processo criativo, grandes nomes dos quadrinhos, obsessões e inspirações.

HEAVYYY – Conta um pouco do teu background.
DAVI - Atualmente estou fazendo o curso de Licenciatura em Artes Visuais, também já fiz alguns cursos de desenho e design quando era menor, mas nada muito relevante. Assim como muitos desenhistas, muito do meu aprendizado, foi e de certa forma ainda é autodidata, porém acho extremamente importante uma formação mais acadêmica, pois conhecimento sempre agrega valores em qualquer coisa que você faça. Além disso, fiz alguns zines independentes, participei de algumas exposições, como “Amostragem”, onde participei tanto expondo, como fazendo os cartazes de divulgação, expus também em festas/exposições, e por último no lançamento do site HEAVYYY.COM. Atualmente tenho feito mais trabalhos para internet e uma provável publicação.
HEAVYYY – Quadrinho pode ser arte? Como?
DAVI - Com certeza! Os quadrinhos, em geral, já ganharam status de arte já algum tempo, não só pelo tempo de sua existência e pela sua vasta produção durante esse tempo, como também pela criação de uma linguagem própria, com suas variações específicas. Essa criação de uma nova forma, não só de fazer, mas de se comunicar, faz com que os quadrinhos se voltem pra si mesmos, e se modifiquem sem perder suas principais características. Isso os diferencia como forma artística e não só como produto.
HEAVYYY – O quadrinho mistura várias formas de expressão. O que você acha que é preciso pra ser um bom quadrinista?
DAVI - Há várias formas de fazer quadrinhos, tanto sozinho como em conjunto. Porém, independente da forma como é feito, é preciso muita dedicação. Ouvi uma vez que os quadrinhos testam seu desenho, o que acho a mais pura verdade. Quadrinhos exige de você pelo menos uma pesquisa, seja em relação ao desenho, ao texto ou a outro componente. Assim,acho que para ser um bom quadrinista é necessário dedicação e estudo.
HEAVYYY – Como você definiria seu traço?
DAVI -  Quando comecei a desenhar tinha o traço bem cartunizado. Com o tempo, o estudo e as influências, esse traço foi evoluindo. Mas mesmo com essa evolução ele ainda contém uma forma mais despretensiosa, não muito acadêmica, o que particularmente me deixa bem satisfeito.
HEAVYYY – Como é o seu processo de trabalho? Como fica o papel da tecnologia nesse processo?
DAVI - Começo com o velho lápis, papel e nanquim e depois passo para o computador. Como também trabalho com design e ilustração é muito importante as técnicas digitais pra mim. Especificamente nos quadrinhos o computador também é um grande aliado, mas o desenho em si é essencial. Ainda não inventaram tecnologia pra falta de estudo e capacidade.
HEAVYYY – Você se inspira em alguma escola específica de quadrinhos?
DAVI - Acho bom ler de tudo. Eu particularmente faço isso: leio do clássico ao novo, do acadêmico ao underground. Enfim, acho bom dar uma olhada em tudo o que tiver, porém tenho uma queda pelo quadrinho underground, pelo quadrinho europeu e também pelas formas novas de fazer quadrinhos em geral.
HEAVYYY – E na hora de criar uma história, onde você busca inspiração?
DAVI - Já com essa influência do underground, busco inspiração no cotidiano, na vida normal da sociedade. Sou apaixonado pela questão de um “novo” olhar ou um olhar diferenciado pelo comum, pelo rotineiro, e isso vem muitas vezes sem querer ou por meio de pesquisa, que pode ser bem abrangente (andando na rua, por exemplo).  Tem um artista que gosto muito que fala “faço quadrinhos pra contar histórias”, e isso é realmente um dos meus objetivos.
HEAVYYY – Qual seu quadrinista preferido (no Brasil e lá fora)?
DAVI - Nossa tem vários! Acho que todo mundo que é apaixonado por alguma coisa tem dificuldade de responder uma pergunta dessas (risos)! aqui no Brasil tem o Angeli que me inspirou muito, não só a fazer quadrinhos, como a desenhar; LaerteGlauco… essa galera de 1980 me incentivou muito, apesar de não ser minha época. Internacional, tem o Robert CrumbMilo Manara,Bill Watterson (que é simplesmente um gênio). Infelizmente não dá pra falar todos aqui, apesar de ter muito mais. Ultimamente tenho visto muita coisa doFábio Moon e Gabriel  Bá, que também são grandes quadrinistas.
HEAVYYY – E o personagem de quadrinhos preferido (no Brasil e lá fora)?
DAVI – No Brasil eu gosto muito da Rê Bordosa e do Niquel Nausea, dos clássicos tenho um apreço muito grande pelo Homem-Aranha e o Lanterna Verde, mas o que ganha de todos com certeza é Calvin and Hobbes do Bill Watterson, nunca canso de ver.
HEAVYYY – Como você vê seu futuro no universo HQ, quais são seus planos?
DAVI - Pretendo continuar trabalhando com quadrinhos e ilustração, e me sustentar com isso, mas principalmente continuar fazendo coisas que as pessoas gostem e se identifiquem.

HEAVYYY – Reclama aí: o que é que tem de ruim em ser quadrinista aqui em Fortaleza?
DAVI - Com certeza a falta de valorização do mercado artístico em geral.  Há uma falta de consciência aqui em Fortaleza de produto intelectual. Não se entende o trabalho, o esforço e principalmente o estudo que é feito para adquirir o resultado esperado. Isso faz com que esse produto intelectual tenha um valor  ínfimo.
HEAVYYY – E o que tem de bom?
DAVI - O que tem de bom é que isso vem mudando, mesmo que seja a passos lentos. E melhor, vem mudando por vontade dos artistas que tem se organizado aos poucos, e se movimentado em relação à valorização do trabalho em geral.
HEAVYYY – Você tá ouvindo o quê ultimamente?
DAVI -Minha playlist é uma coisa absurda, vai de Waldick Soriano a The Smiths tudo que você conseguir colocar nesse meio eu to escutando. Quando meus amigos vem a minha casa sempre estranham as coisas que começam a tocar.
HEAVYYY – Qual você acha que vai ser sua próxima compra?
DAVI - Minha próxima compra vai ser um quadrinho chamado Kick-Ass que eu estava esperando chagar em um versão com capa dura, fora do mundo dos quadrinhos, to precisando de um PC novo, mas não vai ser agora.

Travesti
_______________________________________
http://farm3.static.flickr.com/2700/buddyicons/38297437@N03.jpg?1265766801#38297437@N03HEAVYYY Entrevista Davi Costa (@iamdavi)
Mais Davi Costa no Flickr
Matéria por Maarji Castilho

Fonte:

No comments: