Sunday, July 15, 2012

APRENDER A DESENHAR NÃO DEPENDE DE TALENTO


Descubra como funciona o seu cérebro
Acia Maidantchik Stern
AS FUNÇÕES DO CÉREBRO
LADO ESQUERDO
usa a lógica
atenção nos detalhes
regras factuais
palavras e linguagem
presente e passado
matemática e ciência
interpreta
sabe
reconhece
ordem/percepção de padrões
sabe o nome dos objetos
se baseia na realidade
estratégia
prático
prefere a segurança
LADO DIREITO
usa o sentimento
atenção no todo
regras imaginárias
símbolos e imagens
presente e futuro
filosofia e religião
entende
acredita
aprecia
percepção espacial
sabe a função dos objetos
se baseia na fantasia
improviso
impetuoso
toma riscos
*Fonte: Dr. Roger Sperry (neuroscientist – Nobel Prize Winner)
Quando comecei a escrever esse livro, meu intuito era ajudar meus
alunos a entender melhor o método que utilizo para desenhar.
Todas as informações aqui presentes estão baseadas em livros científicos
e na minha experiência como artista.
2
“Ninguém é dono da verdade, apenas da sua própria”
Acia Stern
Me chamo Acia Maidantchik Stern. Nasci em Israel em 1965 e vim para
o Brasil em 1967. Aqui no Rio de Janeiro cresci, sempre voltada para a
arte. Me lembro que já aos 8 anos de idade, o meu programa predileto
era andar sozinha (naquela época era possível) pelas ruas de
Copacabana, onde morava, à procura de papelarias. Ficava horas
estudando cada tipo de lápis, hidrocor, papel, borracha, etc, que
encontrava pela frente. Todos os materiais de desenho e pintura já me
interessavam nessa época. Aliás, meu sonho era ter uma papelaria!
Digo sempre que não precisamos de talento para entrar no mundo das
artes. O que é fundamental, no entanto, é amá-la.
Durante os anos de escola, me obrigava a estudar sem muito interesse,
a não ser nas aulas de artes plásticas, ah, as salas de arte eram o meu
Oasis. Me lembro de todas as salas onde fiz meus borrões e minhas
‘obras primas’.
Nos últimos anos de escola, optei por cursar Programação Visual e
Desenho Industrial. Lembro que todo o sofrimento durante os longos
anos de colégio se acabaram quando ingressei na universidade. A
partir de então embarquei num período de felicidade que nunca havia
experimentado antes. Finalmente fazia o que gostava e as notas
refletiam isso. Minha auto estima cresceu, pois entendi, nesse ponto da
minha vida, que para ser feliz precisamos não apenas identificar o que
gostamos mas também, e principalmente, correr atrás dos nossos
sonhos.
Após passar tantos anos em contato com a arte, com artistas e com
admiradores da arte, cheguei à conclusão que, para cada pessoa, o
3
significado da arte pode ser diferente. Picasso dizia que se você estiver
andando pela rua e avistar um quadro, dentro de uma lixeira, que te
agrade e te dê prazer – isso é arte. Leve-o para casa, e pendure na
parede, para ser apreciado e admirado por você.
Arte não é melhor ou pior pelo preço que ela custa. Determinar o preço
das obras não é o trabalho do artista e sim dos críticos de arte, da
mídia e dos donos de galerias. Não se deixe influenciar pelo que os
outros te dizem sobre a arte. Ao olhar uma obra, procure prestar
atenção no que você sente dentro de si mesmo e quando esse
sentimento te parecer algo especial, isso é arte.
Observe que tudo que aprendemos na vida, requer uma dose de
dedicação. No caso do desenho não é diferente, mas posso dizer que
é recompensador, tanto para quem ensina, quanto para quem aprende.
Sinto sempre enorme satisfação quando vejo o progresso dos meus
alunos e comprovo a possibilidade do aprendizado dessa técnica tão
fascinante. Lembre-se que a função deste livro é te orientar quanto às
técnicas de desenho. Você só irá aprender, realmente, a desenhar
através de muita disciplina e prática.
Quantas vezes você pensou que a arte é muito valorizada pois é
“reservada para poucas pessoas de talento”? Não se exclua desse
“grupo talentoso” antes de tentar entender, praticar e aprender as
técnicas aqui ensinadas.
Vamos aprender agora que para desenhar, o primeiro passo é
aprender a enxergar direito. Você irá aprender a ver melhor, pois
através dos exercícios deste livro, passará a pensar de outra forma.
Se você comprou esse livro, é por que além de gostar de arte, se
interessou por um método acessível a todos, não apenas aos
“talentosos”. O que você não sabe ainda, é o quanto gosta de arte e o
quanto gostaria de aprender a desenhar. Nas próximas páginas um
4
mundo novo se abrirá para você. Descubra agora o quão paciente e
perseverante você realmente é para participar desse universo
maravilhoso das artes plásticas.
Retrato à lápis a partir de uma foto da minha infância.
Maio/2004
Qualidades necessárias para desenhar:
AMOR - DEDICAÇÃO - PACIÊNCIA - PERSEVERANÇA
TEORIAS BÁSICAS DO DESENHO
. O ATO DE DESENHAR O ato de desenhar é um processo interessante, pois é tão entrelaçado ao ato de enxergar, que os dois mal podem se separar um do outro. A 5 habilidade de desenhar, depende da habilidade de enxergar como um artista enxerga. Essa maneira de olhar/ver/enxergar vai enriquecer sua vida de uma forma extraordinária. OLHAR – VER – ENXERGAR Quando você olha, você contempla algo; Quando você vê, você dá um passo a mais e passa a reparar; Quando você finalmente enxerga, aí sim, você entende o que viu. A ARTE DE ANDAR DE BICICLETA Ensinar a desenhar, é mais ou menos como ensinar a andar de bicicleta. Você diz para o aluno: “Suba no banco, segure o guidão e depois pedale olhando para frente”. É claro que isto só não basta e você acaba falando: “eu vou subir na bicicleta e você olha como eu faço”. A mesma coisa acontece com o aprendizado do desenho. A maioria dos professores começa a ensinar ao aluno a mudar a maneira de ver as coisas e aprender a enxergá-las melhor. O problema é que, ensinar a enxergar melhor, é tão difícil como explicar como se anda de bicicleta. O professor acaba dizendo ao aluno que, se ele olhar os exemplos e treinar bastante, eventualmente, ele vai conseguir desenhar. Enquanto quase todo mundo aprende a andar de bicicleta, a maioria das pessoas não aprende a desenhar. O que acontece na realidade é que as pessoas não aprendem a enxergar suficientemente bem para conseguir desenhar. DESENHAR É UMA HABILIDADE MÁGICA? Artistas são vistos como pessoas que possuem um raro talento “enviado pelos Deuses”. Para muitas pessoas o processo do desenho é visto como um mistério acima da compreensão humana. Os próprios artistas fazem pouco para desvendar esse mistério. Se você pergunta a um artista (uma pessoa que desenhe bem, após anos de treinamento e prática), “Como você desenha o rosto de alguém fazendo com que o desenho pareça 6 real?”, o artista vai provavelmente responder “não sei bem, acho que tenho um talento especial” ou “eu apenas olho para a pessoa e começo a desenhar o que vejo”. Isso parece lógico e faz sentido mas, claramente, não explica nada a respeito do processo de desenhar e pior, mantém aquela idéia de que desenhar é verdadeiramente uma habilidade mágica. O mais engraçado é que as pessoas acham o máximo saber desenhar, mas nem se atrevem a tomar aulas de desenho, pois elas dizem não ter talento algum. Isso é exatamente a mesma coisa que decidir não aprender inglês pois você não sabe falar inglês ou não fazer um curso de carpintaria por que você não sabe construir um móvel! É POSSÍVEL ENSINAR E APRENDER A DESENHAR Você irá logo descobrir que desenhar é uma habilidade que pode ser aprendida por qualquer pessoa normal, com visão e coordenação medianas – com habilidade suficiente como por exemplo, enfiar uma linha no buraco de uma agulha ou agarrar uma bola de futebol. Aprender a desenhar é muito mais do que apenas adquirir a habilidade para tal. Você aprenderá a ver direito, ou seja, você aprenderá a processar a informação visual da mesma maneira especial que fazem os artistas. Essa maneira de ver é diferente da maneira como você vêm enxergando toda a sua vida. Para isso você precisará usar seu cérebro de maneira diferente de como sempre o usou. Você aprenderá como nosso cérebro lida com as informações visuais. FUNÇÕES DOS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS HUMANOS . Roger Wolcott Sperry (1913 - 1994) foi um neurobiologista e fisiologista agraciado com o Prêmio Nobel de Fisiologia/Medicina em 1981, por 7 pesquisas sobre a separação e identificação das funções dos hemisférios esquerdo e direito do cérebro. Sperry recebeu o Nobel em 1981, mas desde os anos 60 estudava a teoria dos hemisférios do cérebro e foi exatamente nessa época que Betty Edwards, (nascida em 1926, na Califórnia, USA), professora de Arte e escritora, conhecida principalmente por seu livro Desenhando com o Lado Direito do Cérebro, publicado originalmente em 1979), desenvolveu a teoria sobre o desenho e as funções do cérebro. Edwards empregou as descobertas de pesquisas sobre o cérebro e propôs exercícios que mostram a habilidade criativa do lado direito do cérebro, oposto às habilidades analíticas e lógicas do lado esquerdo do cérebro. Na minha opinião, essa foi a melhor contribuição no campo de ensino do desenho desde a Renascença, quando Albrecht Dürer (1471 - 1528), desenhista, gravador e pintor alemão, aperfeiçoou os conhecimentos de perspectiva, anatomia e proporção. Não iremos aqui, entrar em detalhes sobre o Prêmio Nobel de Sperry, pois não somos cientistas e sim artistas plásticos. O que farei, no decorrer das próximas páginas, é explicar como essa descoberta tem sido fundamental na área de ensino do desenho. Uma vez que se entende como os dois lados do cérebro funcionam, a habilidade para o desenho, “magicamente” brota em qualquer pessoa que deseja desenvolver essa técnica. DESENHANDO E ENXERGANDO A “magia” de conseguir desenhar foi cientificamente provada ser a habilidade de fazer uma mudança no cérebro, para um estado diferente, no qual você passa a ver/perceber as coisas de maneira mais precisa. 8 Você saberá desenhar a partir do momento em que você aprender a ver como os artistas vêem. ESTADOS DO CONSCIENTE O estado pelo qual os artistas passam enquanto estão desenhando, pintando ou esculpindo é um estado familiar a todos nós. O artista sente a mesma coisa que você sente quando “sonha acordado”. Durante aquele “sonho”, você perde a noção de tempo e espaço. Você pode ter essa sensação em várias situações: meditação, datilografia, costura, jogging e é claro, desenho. Toda vez que esse advento de “dormir acordado” acontece, nos sentimos de alguma forma mentalmente descansados, pois é como se o tempo parasse. Quando você está no estado de “dormir acordado”, você usa o lado direito do cérebro. É nesse momento que fazemos a transferência do lado esquerdo para o direito do cérebro. Você já sentiu aquela sensação de estar olhando para o nada ou para o infinito? Como se você olhasse através da pessoa a sua frente, com o olhar fixo? As pessoas olham para você e acham estranho, pois é como se você não estivesse ali e sim em outro “planeta”. Pois bem, nesse momento você está exercitando o lado direito do seu cérebro. A chave para desenhar é conseguir aprender como você consegue fazer essa transferência, ou seja, passar a usar o lado direito do cérebro.” “Aprendi que o que ainda não desenhei, nunca vi realmente.” “Quando começo a desenhar um objeto simples, me dou conta do quão extraordinário ele é.” 9 APRENDENDO A VER MELHOR 1. Ver as coisas como elas realmente são, suprimindo qualquer idéia preconcebida ou previamente armazenada em nossa memória estereotipada; 2. Procurar superar antigas interpretações falsas, geralmente baseadas nos intermináveis símbolos que aprendemos e memorizamos durante toda a nossa vida, como por exemplo o desenho da paisagem da casinha com a fumaça saindo pela chaminé, árvore, sol e nuvens. Qualquer adulto, sem formação alguma em desenho, irá desenhar essa paisagem de uma forma muito parecida, concorda? 3. É exatamente esse tipo de “símbolo”, que queremos evitar. Fonte: http://aciastern.com/pt/apostila.pdf

No comments: