Tuesday, June 5, 2012

Desenhando Elipses



“Eu fico me perguntado por diversas vezes que meio utilizar para melhorar a perspectiva e apresentação de um desenho com seus mais variados elementos, mas sempre a Elipse fica em primeiro lugar, no topo das opções. As Elipses podem ter a aparência de ser muito difícil, mas, como a maioria dos problemas que temos, elas podem ser decompostos em formas mais fáceis de trabalhar conforme explicarei abaixo.” (MJ Sibley Dip.AD.)

A Ellipse

Com faço para desenhar uma elipse?
Muita atenção O olho do observador pode detectar qualquer irregularidade em uma “forma” desenhada, seja ela um quadrado cujos lados não tem o mesmo comprimento, um “círculo” que não é circular e no caso,  uma elipse irregular, também será facilmente notada. Ou seja, quando a imagem está irregular, foge do que o olho esperava ver, por isso fica tão nítido a irregularidade. Em suma, um “círculo” representa a realidade global da cena e fazê-lo com perfeição permite que essa realidade global seja mantida. O mesmo é verdade para a elipse.
O que é uma elipse?
Uma elipse é simplesmente um círculo em perspectiva. Este é um conceito importante que você deve manter em mente.
Uma elipse, portanto, deve obedecer às mesmas regras como um círculo – que consiste em arcos, não contém linhas retas e, se divide em quatro partes, cada segmento é idêntico ao dos outros três.
Dividir o problema
Assim, como com o círculo, uma elipse contém quatro segmentos idênticos. Para este estudo desenhe uma elipse com uma elipse modelo. Ou use um programa de computador como o Paint, por exemplo, para fazê-la e depois imprima. Agora, desenhe uma linha vertical através da elipse para dividi-la igualmente na metade, em seguida, uma linha horizontal. Fica claro que cada quadrante é igual aos demais – apenas a orientação é diferente. O segmento superior esquerdo é uma imagem espelho do canto superior direito, que é uma imagem espelho vertical do segmento inferior direito abaixo … Você acabou de reduzir o problema em 75% (3/4) – e está ficando mais fácil a cada minuto!
Estudo da geometria
Agora vamos desenhar uma caixa em torno de nossa elipse, para que possamos estudar corretamente a geometria de um desses segmentos. Se você for destro, eu sugiro que você se concentre no canto superior esquerdo – utilizando o movimento natural do pulso, este é o primeiro arco que você fará. Observe que ambas as extremidades são “lisas” para os lados da caixa – uma elipse nunca forma a um ponto na parte superior ou inferior. Note também como o arco, enquanto viaja de cima para baixo, delicadamente desenrola a partir de uma curva apertada para uma curva suave. Ele faz isso sem problemas, sem indício de uma seção reta.
As primeiras tentativas
Este exercício consiste em fazer a elipse de forma inclinada, ou seja, criando a perspectiva de profundidade.
Mãos a obra
(1) Desenhe um quadrado em perspectiva em uma folha de papel. Um quadrado de aproximadamente 8cm de altura por quatro centímetros (8 cm x 4cm). Não faça muito grande, para que você possa visualizar melhor e não tenha que ficar movendo os braços para riscar.
(2) Divide-lo verticalmente pela metade (teoricamente, isso não está certo, mas é perto o suficiente). Em seguida, divida-o ao meio horizontalmente.
(3) Agora vamos começar: Primeiramente pela parte esquerda do segmento superior, mas, se você for canhoto, você pode preferir começar canto superior direito. Observe novamente a curva que a elipse deve produzir e tente repetir no seu desenho. Obter essa primeira curva à direita é o truque principal – tudo o que virá depois serão apenas cópias da primeira.  Dica: Quando estiver desenhando, não olhe diretamente para a ponta do lápis, ou para o risco que está sendo formado. Olhe para onde você pretende chegar, antecipe um pouco a visão. Isso pode ajudar a ter mais precisão.

Agora gire o seu papel no sentido horário em 90 ° e copiar a curva que você acabou de desenhar, mas em sentido inverso, conforme a imagem acima.

… gire novamente o seu papel mais 90 ° e copie para o outro lado a curva, como um espelho.

Por fim, vire o papel novamente e copie mais uma vez, como um espelho, a curva que você acabou de desenhar.
Olhando, está correto? Bem, nessa caso, totalmente não está – eu teria que fazer melhor esse trabalho – mas está muito bom, para uma primeira tentativa.
Faça suas linhas se enquadrar em cada um dos seguimentos/quadrantes! Se você está tendo dificuldades para fazer, e ao ver seu desenho ele parece estar errado, tente ver a sua elipse em um espelho ou ligá-lo de cabeça para baixo para dar o seu olho de um novo modo de olhar para ele. Se o papel é fino o suficiente para ver através, você pode dobrar o papel e olhar através da luz. Embora não pareça, mas os dois lados devem ser exatamente  iguais. Comparando dessa forma ficará fácil detectar quaisquer erros. Tendo encontrado o problema, apague as linhas erradas deixando apenas as linhas corretas para se guiar quando for corrigir. Você pode fazer uma sombra para se guiar também, ao dobrar o papel. Apenas uma sombra para guiá-lo. Se tiver alguma coisa errada você vai perceber, masse parece certo, é porque está certo mesmo!
Quanto mais você praticar essas elipses, mais fácil de desenhar elas se tornaram. Eu acho improvável que seja realmente possível desenhar uma elipse perfeita pela primeira vez, mas suas primeiras tentativas ficaram melhores gradativamente.
O fator Linha do Horizonte
Até agora temos apenas a nossa elipse desenhada como um círculo dentro de um distorcido quadrado vertical. Mas, para as elipses horizontais funcionar corretamente, você deve também levar em conta a distância acima ou abaixo da linha do horizonte. É como você pegar uma lata de refrigerante: Se colocá-la mais alto que seus olhos, você verá o fundo da lata. Se colocar abaixo dos olhos, veras a “tampa” da lata, mas se colocar na altura dos olhos, veras  o meio da lata, e é isto que estaremos representando aqui:
  1. marque a sua linha do horizonte, com uma linha horozontal (Na metade da folha)
  2. Defina um ponto de fuga (VP) e desenhe uma linha vertical através dele.
  3. Desenhe dois quadrados de largura idêntica em perspectiva – um acima e outro abaixo da linha.
  4. Divida estes quadrados na metade em ambos os sentidos como você fez no exercício anterior.
.
.
  • Construa dentro de ambas quadrados, as elipses
  • Agora faça o contorno, e aplique uma sombra, dando o efeito tridimencional.
.
.
.
.
Observe como a elipse “flui” para o lado. Nunca há uma associação nítida. Não pode restar uma ponta, conforme na primeira imagem.

Repita o exercício, mas desta vez com uma visão de baixo da linha do horizonte.

Aqui a linha do horizonte está tão abaixo, que ambos os lados estão acima da linha do horizonte.

Isto é igualmente correto se você inverter as elipses onde ambos os lados estão abaixo da linha do horizonte.

E correto para a esquerda …

… Ou para a direita da sua posição de visualização.

E a prática …

Depois de entender a geometria básica das curvas envolvidas provavelmente você vai ter mais facilidade de fazer diversas figuras. Aqui quero mostrar alguns exemplos que mostram a utilização da elipse na criação de desenhos.
Se você precisar desenhar alguma elipse muito grandes, você pode fazê-la primeiro pequena, assim terá uma boa noção para fazê-la grande. Depois para ampliá-la, você pode usar outras técnicas também, como de proporção, quadriculado, ou apenas pode tira-la somente olhando, vai depender de como tem mais facilidade.
Elipse dentro da elipse
Finalmente, haverá momentos quando você precisara desenhar uma elipse (ou mais) dentro de outra. Por exemplo, ao desenhar um círculo, objeto oco, com paredes com uma espessura considerável, como um vaso de barro. Neste caso específico, você precisa desenhar apenas a metade superior da elipse exterior. A parte deve ser mais estreita do que a parte b. A metade inferior da elipse externa precisa ser “vista” apenas em sua mente como ela é definida exclusivamente pela iluminação e sombra da face frontal.

É essa elipse perfeita? Não – mas eu decidi deixá-lo. Pouco na vida é perfeito e potes de fornos, muitas vezes mostra falhas. Neste caso, deixei assim, pois potes de barro não são perfeitos …

Mas aqui o latão de leite e roda tem que ser tão perfeito quanto eu possa desenhá-los.
Exemplos de desenhos feitos utilizando o que aprendemos sobre a Elipse…

.
.
.
.
.
.
.
(Este artigo foi criado originalmente por MJ Sibley Dip.AD. Eu o traduzi e adapitei em uma linguágem contemporanea e mais didádita, com o objetivo de facilitar o entendimento. Boa parte do texto foi aplicada minha própria interpretação da técnica, não sendo expressa nesses casos somente a idéia do autor)
Fonte:

1 comment:

ADRIANO CARVALHO said...

publique seus desenhos!