Sunday, May 6, 2012

Uso de histórias em quadrinhos para elaboração de reportagens

Uma outra forma de jornalismo

O pesquisador Juscelino Neco de Souza Júnior esteve nessa semana em Ponta Grossa falando sobre as vantagens e desvantagens de elaborar reportagens utilizando a linguagem gráfica

Tamanho da letra
Compartilhe
Imprimir
RSS
Comunicar erro
Credito:Credito:
Juscelino Neco de Souza Júnior - jornalista
Juscelino Neco de Souza Júnior é pesquisador em Comunicação Social, e concentra seus trabalhos no uso de histórias em quadrinhos para elaboração de reportagens. Nessa semana ele esteve em Ponta Grossa, participando do 2º Encontro de Comunicação e Educação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. O evento integra também o Festival Literário Internacional dos Campos Gerais (Flicampos), que se encerra neste domingo na cidade. Nesta entrevista, ele falou um pouco de sua experiência na área, focando principalmente a obra do Joe Sacco, que escrever reportagens em quadrinhos.




Jornal da Manhã: Até pouco tempo as histórias em quadrinhos eram vistas como vilãs, prejudicando o bom desempenho de alunos em sala de aula. É possível superar esse pensamento e levar as HQs para o jornalismo?

Juscelino Neco:
 A simples existência do jornalismo em quadrinhos no trabalho de Joe Sacco prova que muito do preconceito foi superado. Principalmente pelo trabalho de autores anteriores ao Joe Sacco, como Will Eisner, muito importante nesse sentido para dar respeitabilidade aos quadrinhos;


 ou o próprio trabalho de Art Spiegelman com sua obra “Maus”, um trabalho em quadrinhos que chegou a ganhar o Prêmio Pulitzer.


 Então, acho que esses preconceitos vão sendo superados. Não que não existam. Às vezes, quando você vai falar com uma plateia que não é iniciada ao tema jornalismo em quadrinhos, você nota essa resistência. E não há como não pensar que [a junção] jornalismo e quadrinhos parece estranha. Porque os quadrinhos são espaços sempre dominados por fantasias bastante extravagantes e por ficção cientifica. E o jornalismo é completamente o inverso: aquela coisa mais factual. Então, você tem a questão inicial de como é que os quadrinhos almejam construir uma narrativa que você possa considerar realmente como jornalística.

Fonte:
http://www.jmnews.com.br/noticias/urbe/23,20701,06,05,uma-outra-forma-de-jornalismo.shtml

No comments: