Saturday, May 5, 2012

Uma questão de perspectiva

by JOÃO
Perspectiva e ponto de fuga no desenho
Linhas convergem para ponto de fuga (que está no horizonte)

Perspectivas no desenho

Muitos aspirantes a artistas, ou simplesmente aqueles que querem começar a desenhar fazem-no ao desenhar caras ou retratos, ou desenhar o corpo humano. Muitos ficam de tal maneira obcecados que ao fim de alguns anos de desenhar constantemente já têm a experiência e a técnica necessária para desenhar personagens com estilo, ou retratos muito precisos. E acaba por ser só isso que conseguem fazer.
Para se ser bom a desenhar retratos ou o corpo humano não é preciso aprender perspectiva, mas ajuda. Quando eu leio ou ouço falar em perspectiva eu começo a desenvolver uma pequena ansiedade em relação àquilo que a perspectiva me faz lembrar: Desenho e Geometria Descritiva de quando eu andava na escola secundária. Eu era relativamente mau em DGD. Como é que é possível que um aluno medíocre em Desenho e Geometria Descritiva fosse o melhor da turma a desenhar? Para mim a resposta é simples, como disciplina a DGD é mais à base de técnica e memorização dos exercícios e não da visualização do espaço em si ou da capacidade do aluno para desenhar. Por isso é que quando eu comecei a fazer muitos exercícios, e a decorá-los, foi quando eu comecei a ser melhor.
Eu prometo que vou explicar as coisas duma maneira simples.
Perspectiva de 1 ponto
Esta é a perspectiva mais fácil.Todos as linhas no desenho apontam para um único ponto, o ponto de fuga. O ponto de fuga é o mais importante de tudo nesta perspectiva. O ponto de fuga é também o ponto pelo qual a linha horizonte passa. Todas as linhas convergem (vão para) ou saem do ponto de fuga. No vídeo o artista cria fácilmente portas e janelas em que as suas linhas convergem para o ponto de fuga com uma perspectiva perfeita.

Perspectiva de 2 pontos
A perspectiva de dois pontos tem 2 pontos que vão estar situados na linha do horizonte. É para estes dois pontos que todas as linhas têm de converger, menos as perpendiculares ou outras oblíquas. Básicamente é seguir os mesmos parâmetros da perspectiva de um ponto, mas desta vez com dois pontos de fuga, em vez de só um. O vídeo embaixo começa por mostrar o artista a criar uma máquina de cartão ao colar os lados só mesmo para ter uma idéia em 3D de como pode funcionar a perspectiva em dois pontos. Não é preciso criar uma como ele fez, basta agarrarmos num objecto que seja quadrado ou rectangular para conseguir ver os mesmos ângulos. Note que como bónus, o artista no vídeo também explica como desenhar objectos circulares neste tipo de perspectiva, e está muito bem explicado.

Perspectiva de 3 pontos
Nesta perspectiva temos 3 pontos. Ao contrário da perspectiva de 2 pontos onde as todas as linhas que não são verticais podem convergir para os dois únicos pontos de fuga, com a perspectiva de 3 pontos, as linhas verticais vão agora convergir para um terceiro ponto de fuga. O vídeo em baixo é um bocadinho rápido, mas dá para ver que há 3 pontos de fuga, e é fácil de perceber. Ainda assim faça pausa e veja quantas vezes forem precisas.

Perspectiva de 4 pontos
A perspectiva de 4 pontos não é tão fácil de perceber à primeira. Eu recomendo que treine primeiro a perspectiva de um ponto, a de dois pontos, e também a de 3 pontos. A de 4 pontos não é vital para o mundo do desenho como as outras. Esta perspectiva tem 4 pontos de fuga e proporciona uma espécie de vista de 360 graus, como certas câmaras de vídeo conseguem apanhar. Digamos que é uma perspectiva panorâmica.


As perspectivas que eu considero mais úteis para aprender são as perspectivas de 1 e 2 pontos de fuga. E uma maneira muito fácil de praticar é ver estes vídeos, possívelmente mais do que uma vez para perceber bem os conceitos, e depois simplesmente praticar ao desenhar cubos e formas rectangulares.
Aprender perspectiva não vai torná-lo logo um bom artista da noite para o dia, mas vai melhorar um bocado a nossa percepção no espaço dos objectos que estamos a desenhar e a percepção de muitas outras coisas e até pessoas no nosso dia-a-dia. Se bem que a perspectiva ajuda mais em edifícios e paisagens, há muitos artistas que usam a perspectiva para melhor situar pessoas e outros seres vivos nas suas obras, mesmo que sejam primáriamente edifícios e paisagens. E aliás, se, ao desenharmos a figura humana o fizermos com formas quadrangulares e rectangulares, a perspectiva torna-se aqui útil para tornar essas formas geométricas mais precisas em perspectiva.
Portanto, apesar de eu não ser um grande fã da perspectiva e da maneira como isso se relaciona com retratos e desenhar a figura humana, eu acho que há algumas vantagens em aprender a perspectiva como deve de ser, e neste post há aqui informação suficiente para a começarmos a praticar.
Fonte:

No comments: