Saturday, June 11, 2011

vc repórter: colônia japonesa impulsiona economia no PR


12 de junho de 2008 14h08

comentários
0

No Paraná, a colônia japonesa se mostra como uma das mais representativas no país, principalmente nas regiões norte e noroeste do Estado. O município de Guarapuava, no centro-oeste do Paraná, abriga poucos japoneses, mas a pequena comunidade se destaca como mola propulsora na economia local.

» vc repórter: mande fotos e notícias

Pioneiro no cultivo de batatas na região, Kazuo Kawakami, de 73 anos, chegou em Guarapuava em 1963, vindo do Estado de São Paulo. Na época, havia apenas três famílias de japoneses na cidade. Filho de pais que chegaram no Brasil antes da Segunda Guerra Mundial, Kawakami conta que, junto com outras famílias, decidiu se dedicar a uma nova atividade agrícola, até então inédita no município: o plantio de batata.

Segundo ele, as dificuldades foram muitas em se tratando da produção de batatas, uma vez que os equipamentos eram escassos e não havia mão-de-obra especializada na cidade. Isso onerava os custos de produção.

Um ano depois, o jovem agricultor, que já era noivo, se casava com Toshiko Kawakami, hoje com 63 anos, que chegou ao Brasil no final de 1955. "Eu vim na primeira imigração familiar de japoneses que o Brasil recebeu depois da Guerra. Cheguei em São Paulo com 10 anos e já estava na quinta série, mas tive que voltar para o primeiro ano do primário por causa da língua", lembra Toshiko.

Ela também lembra que sofreu dificuldades de adaptação por causa dos costumes e da comida, mas afirma que nunca foi vítima de nenhum tipo de discriminação. "No começo, a gente procurava as comunidades japonesas para se estabelecer. A gente já vinha com o aval de algum parente que morava aqui, mas com o tempo, fomos acostumando com o Brasil. Hoje me sinto brasileira e não penso em sair daqui", disse Toshiko.

Em 1976, Eduardo Kazahaya, hoje com 60 anos, chegou em Guarapuava para trabalhar como representante de uma empresa multinacional da área agrícola. Oito anos depois, em 1984, o vendedor, juntamente com outro sócio, decidiu mudar de ramo de atividade e passou a atuar como empresário agrícola no ramo da bataticultura.

Ele se recusa a discutir a política agrícola, mas conta que apesar das dificuldades que a agricultura sempre enfrentou, ainda se sente satisfeito com os resultados de seu trabalho.

Plantando cerca de 1,2 mil hectares e primando pela diversificação dos produtos, a empresa de Kazahaya emprega hoje dezenas de pessoas de forma direta e centenas de forma indireta.

O empresário diz que é importante diversificar a produção para evitar transtornos. "Desde o início, nós tivemos essa visão de diversificar. Quem continuou só com a batata, acabou tendo problemas sérios. Nós nos preocupamos, primeiro, em beneficiar nossa produção de soja, batata e milho, e com o tempo que sobra atuamos na compra e venda dos mesmos produtos", destacou.

Mesmo com as dificuldades e críticas apontadas, os imigrantes japoneses dizem que acreditam no Brasil. Eles afirmam que o País sempre se mostrou acolhedor, não só com os japoneses, mas com todos os povos que decidiram viver aqui.

O internauta José Luiz dos Santos de Guarapuava (PR), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui

Fonte:

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI2944977-EI8139,00-vc+reporter+colonia+japonesa+impulsiona+economia+no+PR.html

No comments: