Saturday, June 18, 2011

Secretário de Obras dá ultimato à construtora da UnB Ceilândia


Empresa deve apresentar justificativas e pedir nova prorrogação. Proposta é entregar todo o primeiro prédio no dia 26 de junho
João Campos - Da Secretaria de Comunicação da UnB


 Tamanho do Texto

O secretário de Obras do DF, Luiz Pittmann, visitou as obras do novo campus da UnB Ceilândia nesta quinta-feira e deu um ultimato à construtora UniEngenharia: caso o primeiro prédio não esteja totalmente pronto até o dia 26 de junho, o contrato será encerrado e haverá multa por descumprimento de contrato. A empresa tinha prazo até 30 de maio para concluir o primeiro andar do prédio, mas a data não será cumprida mais uma vez.
Desde o início das obras foram sete adiamentos. Segundo o engenheiro responsável pelos prédios, Rogério Vedovelli, o bloco de laboratórios que deveria ser entregue em 30 de maio não ficará pronto a tempo e a conclusão do segundo bloco, previsto para 26 de junho, também será adiado. O GDF cogita encerrar o contrato com a UniEngenharia, mas teme que fazer outra licitação atrase ainda mais a conclusão das obras. "Não podemos mais esperar", diz a diretora da UnB Ceilândia, Diana Pinho. "É uma irresponsabilidade. Temos turmas do sexto e sétimo semestre que precisam de instalações específicas que hoje estão comprometidas para uma formação adequada”, critica Diana.   
A diretora de Edificações da Novacap, Maruska Lima de Sousa, afirma que o governo aguarda um documento da Uni Engenharia com justificativas para o novo atraso e o pedido de prorrogação do contrato. “Vamos analisar as justificativas antes de tomar uma decisão”, pondera. “Legalmente, o não cumprimento do contrato prevê a aplicação de multas diárias à empresa e até uma nova licitação”, completa. A Novacap fará a fiscalização no local quatro vezes por semana. O contrato para a construção da subestação de energia já foi retirado da UniEngenharia.
Segundo a arquiteta Adriana Valquíria Rosa, representante da Uni Engenharia, a empresa deve entregar uma carta com as justificativas e o comprometimento com novos prazos ainda este semestre nos próximos dias. “Tivemos pedidos de alteração nos projetos, chuvas, a crise no governo passado. Todos esses fatores acabam atrasando o andamento das obras”, argumenta ela.
Estudantes, professores e servidores do campus de Ceilândia aguardam a conclusão das obras há dois anos e meio. Um dos principais problemas da UnB Ceilândia é a falta de laboratórios. Segundo a professora Diana Pinho, é impossível receber os alunos do próximo semestre na atual conjuntura. “Já não acreditamos mais em promessas de novos prazos”, afirma.
Fonte:

No comments: