Loading...

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Quadrinhos combate o bullying


EF 24 de Ceilândia combate bullying e cyberbullying

27/05/2010

A cultura de paz é o ponto central da proposta pedagógica da escola. Em 2007, o ano fechou com 185 episódios de indisciplina. Em 2010, praticamente no fim do primeiro semestre, o número já caiu para dez ocorrências

Cef 24 bullying

Com o projeto “Arroba ponto bullying, combate ao fenômeno sem rosto (@.Bullying)”, o CEF 24 de Ceilândia vem combatendo um dos problemas mais graves enfrentados pelas escolas na atualidade. Fenômeno mundial, o bullying é a violência física ou psicológica cometida por uma pessoa ou grupo contra um indivíduo ou outro grupo.

O projeto, realizado com a participação de 14 alunos, surgiu da percepção de que este tipo de violência vinha aumentando dentro e fora do ambiente escolar, agravado pelo chamado cyberbullying (violência no ambiente digital), principalmente com a frequência a lan houses por parte de adolescentes e jovens.

Em 2009, a escola pesquisou a incidência deste tipo de violência junto a 241 alunos.

Considerando-se que o mesmo aluno pode ter sido vítima de mais de um tipo de violência, 58 entrevistados responderam que já foram vítimas de bullying e/ou cyberbullying, 55 foram humilhados, 82 já foram ameaçados, 20 foram agredidos e 17 foram alvo de chacota.

A partir destes dados, no segundo semestre de 2009, o projeto foi colocado em prática. A ação básica consiste na informação sobre o que são o bullying e do cyberbullying e suas conseqüências.

“Na grande maioria dos casos, os pais não sabem do que se trata. Muitas vezes, o bullying começa dentro de casa, com desentendimentos entre irmãos, entre pais e filhos, e a agressividade acaba chegando à escola”, afirma a diretora Sirlei de Lourdes Pereira Gontijo, à frente do CEF 24 desde 2008.

“O bullying não é uma batalha entre mocinhos e bandidos. Pelo contrário, é uma batalha onde só há vítimas. Portanto, quem agride, aparentemente tomado como culpado, necessita tanto de tratamento quanto quem é agredido”, destaca a representante Política de Promoção da Cidadania e Cultura de Paz, Alessandra Arruda.

Para ela, a escola deve difundir o significado do termo bullying e adaptar suas atividades pedagógicas ao tema, promovendo ações positivas de respeito às diferenças e à dignidade humana.

Um exemplo, na linha de raciocínio de Alessandra, foi um episódio ocorrido na última semana, no CEF 24 de Ceilândia, quando uma aluna foi abordada na saída da escola por dois colegas que a trataram por um apelido pejorativo. Instantes depois, a adolescente se viu cercada de estudantes que gritavam o apelido em coro e arremessavam contra ela papéis catados no chão. A mãe acabou pedindo a transferência da adolescente.

A direção da escola chamou os pais dos dois alunos, que foram advertidos e suspensos. Ambos disseram que não tinham noção de que o que consideravam brincadeira fosse tomar tamanha proporção.

A exibição de filmes relacionados ao tema faz parte do projeto. O primeiro trabalho veiculado na escola foi “Bang Bang! Você morreu” (Estados Unidos, 2002, direção de Guy Ferland). Inspirado em fatos reais, o filme fala sobre preconceito e discriminação, a partir da história de um jovem que, depois de ser humilhado por um dos jogadores do time de futebol da escola, ameaça explodir o prédio, mas usa uma bomba de mentira. Depois do episódio, ele se sente ainda mais deslocado e pode fazer algo realmente violento. É quando o jovem é auxiliado por um professor, que percebe o drama.

Além dos filmes, a proposta inclui debates e distribuição de folders na escola. O mesmo material foi distribuído nas lan houses próximas, mas, mesmo assim, estes estabelecimentos ainda não colaboram com o projeto. Neste ano, a direção tentará uma nova aproximação com os comerciantes. Uma novidade será a elaboração pelos alunos de histórias em quadrinhos sobre o tema. Todo o trabalho tem o apoio do Promotoria da Educação – PROEDUC.

Cef 24 novo
Em 2010, o CEF 24 de Ceilândia comemora o fim do vandalismo

A cultura de paz e o combate à violência é peça chave na proposta pedagógica da escola, que atende 1500 alunos das séries finais do Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Além das ações internas, o CEF 24 também participa do Escola Aberta, uma parceria entre Secretaria de Educação, Ministério da Educação e Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O programa, desenvolvido em áreas de risco social, tem a meta de harmonizar a escola com a comunidade, por meio de atividades culturais, esportivas e de lazer, realizadas nos fins-de-semana e abertas ao público. Um dos resultados buscados, além da integração, é a redução da violência entre os estudantes.

CEF 24 velho
Em 2007, o vandalismo era um dos principais problemas enfrentados pelo CEF 24

Propostas como essas, aliadas à instalação do Conselho de Segurança Escolar (CSE), vêm alcançando êxito. Embora a escola ainda não tenha conseguido zerar os episódios de violência, melhorou muito a situação geral. Em 2007, foram registrados 185 episódios de indisciplina, variando desde casos de discussões até agressão física e vandalismo. A incidência caiu para 62 casos em 2008 e 55 no ano passado. Em 2010, quase no fim do primeiro semestre, estão registradas apenas dez ocorrências.

Folder do projeto @.Bullying


Fonte:

http://www.se.df.gov.br/300/30003002.asp?ttCD_CHAVE=100101

Nenhum comentário: