Wednesday, July 28, 2010

Canetas em Extinção

Os irmãos gêmeos dos quadrinhos não só desenham bem, como também tem excelentes e sutis sacadas, numa dessas Gabriel Bá desenhou esse Sapo segurando uma caneta Pigma Micron da Sakura. Acho que só um desenhista aficionado por essa caneta poderia reparar nesse significante detalhe. O desenho, aparece no álbum Crítica (P&B) e está também no blog dos 10 paezinhos (cor). Bom, esse desenho aliou minha fome com a vontade de comer, já que desde muito tempo eu queria fazer uma postagem sobre essas excelentes canetas japonesas.*Eu gosto muito das canetas de nanquim descartável, são canetas técnicas de vários calibres. Recentemente, encontrei meu sonho de consumo, a espessura de .005 mm (ainda vou encontrar no Brasil a .001, só a vi uma vez em um estojo de um ilustrador norte americano enquanto falavamos sobre mateiriais, mas a pigma não tem .001). Sobre as canetas, há várias boas marcas. Do japão encontra-se também a Mitsubishi, e vindas da alemanha, a Staedtler que são muito confiáveis e me quebram um galho quando não encontro as "Sakura" card captors.

Fiquei um longo tempo sem comprar as canetas de minha predileção pois elas simplesmente haviam desaparecido no mercado aqui em Belo Horizonte. Um longo inverno de mais de um ano e meio sem as encontrar, ou as encontrando por acaso jogadas nas mais minúsculas papelarias. Não sei o que aconteceu, o dólar estava barato durante esse período do meio de 2008 e durante todo 2009. Achei que poderia ser uma restrição à importação, ou alguma visão de comerciantes tacanhos de BH que não queriam comprar mais a sakura. Deve ser porque ela realmente dura uma pouco mais do que as outras, uma caneta tão boa que mantém a marca escura até quase o final de sua vida útil.** Na verdade, a Sakura tem uma outra caneta especial (deve ser muito usada para os ideogramas japoneses): a Pigma BRUSH. Possui a lapela vermelha que aparece aí de baixo, além da flor em vermelho apresenta uma ponta na forma de pincel. É excelente para preencher pequenos espaços com precisão, além de deixar o preto mais homogêneo.

Sou tão fã dessas canetas que guardo as antigas para obter outros efeitos de pincel, as vezes misturando com tintas nanquim. As Pigma Micron trazem o selo AP "certified by Art & Creative Materials Institute" uma certificação de materiais norte-americana, o que denota a importância desse mercado para a Sakura.

Encontrei alguns desenhistas que dizem apreciar a caneta. Na internet Roberta Gregory a cita em entrevista: "Gosto das canetas Rotring Art, daquelas que enches com tinta, mas nos últimos tempos ando preguiçosa e gosto de canetas e pincéis de usar e deitar fora. Os nomes das marcas são Pigma Micron e Alvin Penstix. Também tenho uma caneta-pincel da Sakura, daquelas que se enche com tinta." O sítio da Sakura na américa do norte traz mais alguns desenhistas que usam a caneta, dentre eles ninguém menos que Andy Hoop e Kevin Smith dão seu testemunho. Há também no site da representação da companhia o fato curioso de a caneta ter sido usada para deixar sua marca indelével no voto dos eleitores do estado de Illinois, sobre os quais se destacou dentre os votantes o presidente Obama, que votou para sua vitória com Pigma micron n° .08.

Minha busca pelas inestimáveis e perdidas canetas Sakura acabou este ano quando fui à Casa das Artes em Brasília. A Casa das Artes é uma excelente loja de materiais artítiscos e recentemente abriu um espaço só para a loja e outro só para os cursos de pintura. Fica na comercial da 102 Norte e possui bom arcevo e dessa vez havia um pequeno mostruário com várias das canetas, inclusive as de cor que não levei pois não estava preparado para comprá-las. As canetas me custaram R$ 7,85 cada, vale a pena, pois duram mais, como falei.

Apesar de todas essas lováveis virtudes das canetas pigma micron é claro que os artistas precisam experimentar muito de várias técnicas, e aqui vale de tudo: esponja, contonete, bambu, graveto, arames, esferográficas, marca texto com pontas talhadas pelo próprio artista, grafite colorido, carvão, escova de dentes, pena de ave ou de metal, fabricada ou manufaturada. Enfim, tudo pode ser usado para atingir um belo efeito final e só a experimentação permitirá saber qual a sua melhor caneta e como conseguir o melhor efeito com aquele material. No mais, fica o meu registro para as papelarias de Belo Horizonte não deixarem faltar essas ótimas canetas. E para importarem também as demais variedades de cores e os modelos graphic pens, Pigma Sensei e Pigma Sépia que ainda não vi vendendo aqui no Brasil.

É isso, que a Sakura Pigma Micron nos continue rendendo bons desenhos, como o sapo feito pelo Gabriel Bá se segurando na caneta.

* No último FIQ-BH perguntei ao Gabriel se poderia publicar um post sobre a caneta com essa imagem. Acho que ele estranhou o pedido esquisito, mas deixou contanto que eu creditasse o autor e o albúm. Deixo claro aqui que sempre divulgo obra e nome de trabalhos basta que os visitantes leiam a integra do post (ainda não aprendi a colocar subtítulo noblogspot).

** Sobre a durabilidade da Sakura um blog apenas de canetas diz: "After years of ignoring the Sakura Pigma Micron for no good reason, I am finally on the bandwagon. Smooth and clean - and so far durable - I've been using this pen more frequently as of late. Some people have mentioned durability issues to me, so I will be keeping an eye on any premature breakdown of the tip and will post if anything changes. Otherwise, sign me up for the rainbow of colors!." Eu mesmo creio que os tontos dos comerciantes belohorizontinos acham que ela vende pouco, mas não é isso, ELA DURA MAIS!!! A todo lugar eu fazia propaganda da caneta para ver se alguém a trazia de volta, mas nada, muitos dos despreparados comerciantes de algumas lojas nem sabiam do que eu estava falando (tem gente que acha que o que não tem no estoque da loja não existe).

Fonte:
http://imarock.blogspot.com/

No comments: